Kombo Candidato

Por uma empregabilidade ótima

Em nosso post de ontem, perguntávamos como anda sua empregabilidade e hoje buscando alguns conteúdos para lhe dar uma direção maior encontrei algumas dicas dadas pelo considerado melhor headhunter do Brasil Roberto Wong, em um artigo na HSM.

Um ótimo emprego, na minha definição, inclui os seguintes pontos, ou a maioria deles. Pense nisso quando avaliar o emprego que deseja ou o que já possui:

1. Utiliza suas reais competências, baseadas no auto-conhecimento.

2. Possibilita sua evolução, aprendizado e crescimento como um todo.

3. Faz você se sentir realizado profissionalmente e o aproxima cada vez mais da sua vocação (palavra que vem do latim vocare, que significa “chamado” ou “voz interna”) e da sua missão.

4. Eleva sua autoestima, os sentimentos ou sensações positivas de bem-estar e lhe permite executar seu trabalho com equilíbrio.

5. Proporciona um ambiente de trabalho onde reina o coleguismo e teamwork, mas que respeita e admite a expressão das suas características próprias e do seu talento.

6. Oferece compensação, como salários, benefícios, bonus e outras formas de reconhecimento, baseada em meritocracia, senso de justiça e transparência.

7. Tem um job content, ou descrição do trabalho, que potencializa e otimiza suas qualificações, competências, aptidões, dons e talentos.

8. Apresenta dentro da empresa uma cultura adequada e compatível com os seus valores, crenças e identidade social.

9. Possibilita a você ter “química” com o seu chefe, ou pelo menos identificação ou compatibilidade de personalidades, mas, principalmente, respeito mútuo.

10. Acredita que a felicidade ajuda a trazer resultados, em vez de o resultado trazer a felicidade.

11. Permite a você a sensação de “pular da cama toda manhã” e saia de casa para trabalhar integralmente como indivíduo, que significa um ser “não-divisível”, com o seu corpo, mente e alma juntos.

12. Confere-lhe condições para você ser uma pessoa mais proativa do que reativa.

Embora muitos de nós estejamos cientes, de um modo ou de outro, desses pontos, posso afirmar que a maioria dos empregos é obtida de uma forma reativa, não necessariamente tendo esses critérios como fatores de escolha.

Ao analisar qualquer currículo, posso facilmente verificar que a maioria dos empregos citados foram obtidos por meio de anúncio de jornal, por indicação de um amigo, convite de um ex-chefe ou via headhunter. Em outras palavras, uma oportunidade foi apresentada, provocando uma reação do candidato. Se reagiu, é reativo.

É muito raro alguém proativamente ir atrás do emprego que melhor condiz com suas habilidades, momento e vocação. Quantas pessoas você conhece que escolheram efetivamente a empresa, a posição, o chefe e a remuneração de forma proativa? Essa é a diferença entre ir atrás do emprego (reativo) e ir atrás da sua empregabilidade (proativo).

Empregabilidade significa você investir nas habilidades, competências e qualidades que você tem, aperfeiçoando-as, a fim de melhorar suas condições de competitividade na hora de procurar um novo emprego ou de crescer no seu atual. É um investimento em você mesmo – técnica, comportamental, visual, intelectual, cultural e pessoalmente – para apresentar-se da melhor forma possível. Em outras palavras, é você proativamente mostrar ao mercado, ou ao seu atual superior, o que você tem de melhor para oferecer.

Foque mais a empregabilidade do que o emprego! Seja proativo, pois isso vai fazer uma imensa diferença!