Kombo Empresa

Investir nas pessoas é sinônimo de crescimento

Quando se fala em crescimento corporativo, muitas pessoas logo imaginam a conquista de mais espaço no mercado ou aumento de percentuais significativos nos lucros. Não é errado pensar dessa forma, mas quando uma organização se diz próspera essa afirmação pode estar relacionada ao desenvolvimento dos profissionais que nela atuam, afinal são as pessoas que dão vida às empresas. Com essa consciência, muitas companhias têm considerado os investimentos na área de T&D uma ação estratégica.
Na Randon, por exemplo, acreditar no potencial dos colaboradores é uma rotina já incorporada pela cultura da organização e graças a essa visão, a empresa implantou o Programa Crescer – iniciativa criada em 2001 e que tem como objetivo capacitar os líderes e suas equipes, bem como incentivar a formação contínua de todos os colaboradores. A Randon S.A. – Implementos e Participações é uma holding mista de um conjunto de oito empresas operacionais que reúne um quadro de mais de sete mil funcionários. Juntas, respondem a um faturamento de 2,89 bilhões de reais – valor bruto total, em 2006. As Empresas Randon atuam nas áreas de implementos rodoviários, ferroviários, veículos especiais, autopeças, sistemas automotivos e serviços, isso é, contam com uma completa linha de produtos para o transporte de cargas terrestres. No Brasil, opera com unidades nas cidades de Caxias do Sul/RS e Guarulhos/SP, e na comuna de Alvear, Argentina.
Segundo Maria Tereza Casagrande, gerente administrativa das Empresas Randon, depois que o Programa Crescer foi instituído, todas as atividades voltadas para a educação dos funcionários passaram a ser integradas como um todo. “Antes tínhamos ações efetivas e resolvemos dar uma estrutura mais formal, mais consistente e que pudesse ser bem visualizada pelos profissionais”, afirma, ao destacar a companhia viu-se motivada a tomar essa iniciativa porque entende que se não trabalhasse o desenvolvimento das pessoas de forma integrada, no futuro, enfrentaria dificuldades para motivar os colaboradores.
Vale destacar que o Programa Crescer é composto por cinco blocos de atividades: Desenvolvimento de líderes – programa específico para as competências necessárias aos diretores, aos gerentes, aos coordenadores, aos especialistas e aos engenheiros de produtos; Capacitação tecnológica – oferece cursos voltados ao desenvolvimento de competências técnicas; Incentivo à cultura informal – estímulo ao curso do ensino fundamental, médio, graduação, pós-graduação e idiomas; Desenvolvimento de equipes – oferece cursos, palestras e encontros relacionados ao Modelo de Desempenho de Equipe; Crescer on-line – possibilita a educação à distância, oferecendo cursos de desenvolvimento técnico e comportamental pela Internet.
O funcionamento do Programa Crescer é relativamente simples, pois quando o funcionário ingressa na Randon recebe a descrição do seu cargo e o que a empresa espera dele. Dessa forma, a organização apresenta as competências, sejam técnicas ou comportamentais, que o colaborador necessita desenvolver para permanecer no cargo ou, então, ter uma ascensão profissional promissora. Na prática, a área de T&D realiza um levantamento das necessidades de treinamento para identificar em quais atividades a empresa precisa investir. Vale ressaltar que, normalmente, os treinamento são realizados em comum acordo entre a área de Recursos Humanos e as coordenações de cada setor da empresa.
Sempre que possível, a área de RH forma turmas heterogêneas para participar dos treinamentos, com participantes de diferentes setores ou unidades. Essa preocupação justifica-se porque além de dar oportunidade ao aprimoramento profissional, a integração é estimulada entre pessoas que não têm a chance de trocar idéias ou mesmo de se conhecerem. Em média, cada funcionário da Randon participa de 90h de treinamento/ano.
Durante a implantação do Crescer, Maria Tereza Casagrande comenta que a empresa observou que alguns profissionais sentiam dificuldades de se enquadrarem ao processo de mudanças. Para vencer esse primeiro “impacto”, a organização trabalhou a divulgação do programa por aproximadamente seis meses e utilizou canais de comunicação interna como murais, jornal interno, além de estimular a realização de reuniões onde os líderes sempre estavam presentes para tirar as dúvidas dos demais colaboradores.
Mecanismo de avaliação – A Randon não possui uma ferramenta formal para avaliar o Programa Crescer. No entanto, a companhia observa os resultados dos investimentos feitos na área de T&D no dia-a-dia. Depois que a iniciativa foi implantada, por exemplo, notou-se um aumento significativo da rentabilidade, o absenteísmo diminuiu e a rotatividade passou a ter percentual baixo – cerca de 1% ao mês. Através da pesquisa de clima organizacional, a organização constata ainda um índice de aprovação de 80% dos funcionários em relação aos treinamentos oferecidos.
Para a gerente administrativa, imaginar a Randon sem o Crescer é muito difícil, pois é através desse programa que a organização mostra aos colaboradores o que é esperado deles e quais os caminhos que eles devem tomar para aprimorarem suas competências. Ela afirma que a iniciativa dá uma visão clara, apresenta diretrizes e como cada pessoa pode preparar-se e se desenvolver profissionalmente.
Feedback para os funcionários – Para saber se está atendendo às expectativas da organização, o colaborador da Randon participa de um processo de avaliação de desempenho, onde o gestor traça um plano de melhoria individual. “Nunca um funcionário fica sem saber se ele está ou não apresentando um bom desempenho, pois isso garante o seu desenvolvimento. Caso ele tenha algum ponto fraco, que precise ser trabalhado, a empresa dá todo o apoio necessário, para que o profissional tenha a oportunidade de melhorar sua performance”, finaliza Maria Tereza Casagrande.

Fonte: Site RH.com.br, 05/11/2008, Patrícia Bispo

18/dez RH 0 comentário
Esse post ainda não possui comentários.
Deixe um comentário

Os campos marcados com um asterisco * são de preenchimento obrigatório

Últimos posts
Calculando o custo do recrutamento e seleção 31/08/2016 - Nenhum comentário
4 motivos para não receber currículos por e-mail 21/07/2016 - Nenhum comentário
O futuro das consultorias de RH 28/06/2016 - 4 comentários